Dia de campo apresenta estudo realizado pela UFMT: Armazenamento de Soja Úmida em Silo bolsa.

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

A produção agrícola do Brasil ocupa posição de destaque no cenário mundial, sendo a soja uns dos principais grãos comercializados. Contudo, as principais fronteiras agrícolas e regiões produtoras do grão, como o estado de Mato Grosso, possuem capacidade estática de armazenagem inferior à produção, acarretando em déficit significativo. O silo bolsa ou silo bag foi umas das soluções encontradas pelos produtores para contornar esse agravante na pós-colheita.

banner_728x90_1

O silo bolsa consiste no armazenamento de grãos em bolsas plásticas seladas hermeticamente, no qual o processo respiratório de fatores bióticos, como grãos, fungos e insetos, consome o oxigênio (O2) e liberam dióxido de carbono (CO2). Essa atmosfera de baixo O2 e alto CO2 dentro do silo bag, propicia uma condição de maior controle sobre estas pragas e microrganismos, além de diminuir a taxa respiratória dos grãos, garantindo uma melhor conservação. Importante destacar que, durante a estocagem do produto, deve-se ter um monitoramento do sistema para garantir a integridade física do silo bolsa e a qualidade do grão armazenado.

diadecampo

A colheita da soja na região Médio Norte de Mato Grosso é dificultada em virtude de condições climáticas adversas, ou seja, coincide com o período de maior intensidade de chuvas. Além do déficit de   capacidade estática na região, as etapas de pré-processamento do produto (limpeza e secagem) são prejudicadas em decorrência do alto fluxo de produto que chega na unidade, visto a colheita ser concentrada em determinados dias e horários, durante os escassos períodos de estiagens que ocorrem.

Diante dessa problemática, realizou-se um ensaio, em propriedade localizada no município de Sinop-MT, com o objetivo de verificar o tempo permissível para manutenção da soja úmida, em silo bolsa. O intuito era verificar a possibilidade da utilização deste sistema como meio auxiliar no pré-processamento dos grãos, ou seja, armazenar a soja úmida até que o sistema de secagem estivesse “desafogado”.

banner_728x90_2

O estudo fomentou o desejo de reapresentar aos produtores da região, dados coletados em pesquisa e resultados da soja úmida armazenada em silobolsa. O evento contará com o experimento sobre armazenagem de soja úmida no silo bolsa novamente instalado nesta safra (2015/2016), e os participantes poderão verificar a qualidade do produto. Serão 16 dias de armazenagem da soja, com umidade variando de 27 a 22 %. A qualidade e as condições internas de temperatura, umidade relativa e CO2 estão sendo monitoradas e poderão ser visualizadas. Além disso, serão apresentados dados referentes à estudos sobre o “transporte curto” (da lavoura até unidades armazenadoras coletoras), mostrando a problemática da logística na colheita e os efeitos sobre a qualidade de grãos.

Participam da palestra: Professora Dra. Solenir Ruffato e Professor Dr. Rodrigo Sinaidi Zandonadi, ambos da Engenharia Agrícola e Ambiental UFMT/SINOP

  • Data: 17/03/2016
  • Local: Sindicato Rural de Sorriso e Fazenda 2 Corações
  • Horário: 9:30

 

Inscrições: Programação completa e inscrições: http://www.ipesadobrasil.com.br/comunicadoipesa/newsdiadecampo.html

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Sobre o Autor

Comentários no Facebook