Manejo do solo para plantio direto: como funciona?

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Agropro Manejo do solo para plantio direto como funciona

O manejo do solo é um dos aspectos mais importantes do sistema plantio direto. Iniciado na década de 1970 no sul do Brasil, a técnica sempre preconizou a ausência de revolvimento do solo e a semeadura realizada diretamente sobre a palha. Desde então, o plantio direto se espalhou por todo território nacional, totalizando atualmente mais de 30 milhões de hectares sob o sistema. Nesse período todo o sistema evoluiu em todas as áreas, se tornando cada vez mais complexo e eficiente em proporcionar o aumento de produtividade agrícola e a conservação do solo e do meio ambiente.

O manejo do solo para plantio direto envolve uma série de benefícios para a saúde e qualidade do solo. A seguir, explicaremos alguns aspectos deste manejo, e como este importante sistema pode levar à uma elevação dos níveis de conservação do solo e produtividade agrícola.

Manutenção dos agregados do solo

Os agregados do solo são estruturas formadas a partir da união de partículas primárias de argila, silte e matéria orgânica. Tendo sua formação proporcionada pela atuação dos chamados agentes de agregação do solo (matéria orgânica, hifas de fungos, raízes de plantas, óxidos, íons metálicos, etc.), os agregados desempenham um papel fundamental na proteção da matéria orgânica do solo e os estoques de carbono (C).

O manejo do solo para plantio direto, preconizando o não revolvimento do solo e a manutenção da palha sobre a superfície, contribui significativamente para a formação de agregados do solo e consequentemente aumento dos estoques e sequestro de C.

No artigo “Agricultura brasileira e o aquecimento global”, nós discutimos um pouco mais sobre o papel da agricultura na redução do efeito estufa. No artigo “O que são agregados do solo?”, você também pode conferir algumas informações sobre essas importantes estruturas do solo.

Melhoria da atividade biológica do solo

O manejo do solo para plantio direto é feito de forma a proporcionar uma melhoria da qualidade biológica do mesmo. Como pudemos ver no artigo “Por que não devemos confiar apenas na análise química para avaliar a qualidade do solo?”, os aspectos físicos e biológicos do solo são tão importantes para elevar a produtividade quanto os conteúdos de nutrientes no solo.

A maior atividade da microbiota do solo pode promover uma maior ciclagem da matéria orgânica adicionada no sistema através dos resíduos culturais. Da mesma forma, essa maior atividade microbiana pode levar à degradação do C do solo caso não haja substrato para ser decomposto (nesse caso a palhada). Dessa forma, a rotação de culturas planejada de forma a manter uma cobertura adequada ao solo durante o ano todo, é fundamental para manter os estoques de C do solo.

Agricultura sustentável através do manejo do solo para plantio direto

O principal objetivo do manejo do solo para plantio direto é proporcionar aumentos de produtividade para o agricultor aliado à sustentabilidade ambiental. Através do manejo sustentável do solo, é possível elevar a produtividade das culturas, reduzir a necessidade de aplicações de agrotóxicos, além de promover a preservação do meio ambiente.

E você, sabe mais aspectos importantes sobre o manejo do solo para plantio direto? Compartilhe suas experiências conosco.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Sobre o Autor

AgroPro

Comentários no Facebook