Manejo integrado de pragas: um dos pilares da agricultura sustentável

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Agropro Manejo integrado de pragas um dos pilares da agricultura sustentavel

Desde 2008, o Brasil está na liderança mundial no consumo de produtos fitossanitários. Mas, se depender da aplicação do Manejo Integrado de Pragas (MIP), o uso indiscriminado desses produtos na agricultura está com os dias contados.

Isso porque no Manejo Integrado de Pragas, o uso dos produtos fitossanitários é a última opção de controle. E essa opção ainda só é viável com a utilização de produtos seletivos, que não venham a causar danos para os insetos polinizadores e para os inimigos naturais das pragas. Para tentar diminuir os efeitos do uso abusivo de produtos químicos nas plantações, e visando ainda na economia da diminuição de sua utilização, produtores estão optando pelo Manejo Integrado de Pragas. Já que este visa a diminuição de aplicações de produtos fitossanitários e preservação dos inimigos naturais, além de diminuir a probabilidade de resistência à moléculas de inseticidas e fungicidas.

Manejo Integrado de Pragas requer avaliação

Para o Manejo Integrado de Pragas não existe uma única fórmula. Ele deve ser pensado dependendo da área, da cultura e também do tipo de praga existente no local. Para a realização do Manejo é necessário o monitoramento constante.

Deve-se levar em conta que as pragas só se dão após os causadores atingiram um número específico para prejudicar economicamente as produções. Por isso o processo de amostragem é essencial no Manejo Integrado de Pragas, já que este prevê a diminuição dos agentes causadores e não sua eliminação.

A avaliação do ecossistema, a pesquisa das táticas de manejo que podem ser feitos, e então a tomada de decisão. Estes são os passos para a escolha do que será realizado na produção para evitar a perda com pragas.

Diversas práticas de manejo

A diminuição dos agentes causadores de pragas pode acontecer de diversas maneiras, a depender dos fatores já citados acima, como o local, o clima, a cultura e os agentes mais propícios. O Manejo Integrado de Pragas pode ser pelo uso de sementes mais resistentes, práticas agrícolas, controle físico e mecânico, o biocontrole, e por último o controle químico.

Práticas Agrícolas para o controle de pragas

Entre as práticas agrícolas utilizadas podem estar a rotação de culturas, escolha da área, além do período da semeadura e colheita que pode ser alterado. A rotação de culturas é uma forma eficaz já que com ela aumenta a biodiversidade. As monoculturas favorecem a proliferação de pragas.

A época das semeaduras é outro fator que pode ser observado e alterado para que as pragas fiquem longe das plantações. Isso porque há períodos de desenvolvimento delas. E se este período for concomitante ao de lavouras mais velhas já infestadas, o risco é maior. Épocas de muito calor são as mais propícias para o desenvolvimento das pragas.

A utilização do biocontrole

A inserção de inimigos naturais nas áreas das plantações é outra estratégia que pode ser utilizada no Manejo Integrado de Pragas. Este é um tema que vem desenvolvendo pesquisas no campo da entomologia, e com sucesso.

Os inimigos naturais dos agentes causadores interferem no desenvolvimento e proliferação das pragas nas culturas. Eles podem não exterminar totalmente. Mas este não é o objetivo do MIP. Já que a palavra chave de sua utilização é o equilíbrio.

Vimos com este post que são inúmeras as possibilidades oferecidas no Manejo Integrado de pragas. E cada uma delas específica para os diversos tipos de cultura. Com a sua utilização podemos melhorar o cenário brasileiro, de país que mais consume produtos fitossanitários no mundo.

E não serão somente nos rankings. Assim podemos aumentar a qualidade de vida da população, a eficiência de produtos fitossanitários no mercado e auxiliar a preservação ambiental com uma agricultura mais sustentável. Quer melhor?

Dúvidas? Deixe o seu comentário e confira mais dicas em nosso blog!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Sobre o Autor

AgroPro

Comentários no Facebook