Preparo do solo para plantio: como fazer corretamente?

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Agropro- Preparo do solo para plantio como-fazer-corretamente

Cuidados na implantação de novas áreas agrícolas são de fundamental importância para garantirmos bons índices produtivos ao longo do tempo. As decisões tomadas no início acarretarão em consequências no decorrer da condução da lavoura, dessa forma é essencial realizar os procedimentos básico na hora de iniciar o cultivo em uma nova área. No artigo “Plantio direto: os primeiros passos para transformar a prática em um sistema” nós pudemos ver algumas dicas para se iniciar o sistema e como as áreas de plantio convencional no Brasil realizaram a transição para o plantio direto.

A seguir, veremos alguns dos cuidados essenciais no preparo do solo para plantio para evitar problemas no futuro e garantir boas produtividades.

Calagem e correção do solo

A acidez do solo e o alto teor de alumínio toxico presente na maior parte do território brasileiro consiste em alguns dois maiores impedimentos da agricultura brasileira. A presença do alumínio no solo prejudica o desenvolvimento das raízes das plantas, comprometendo o crescimento das culturas e reduzindo a produtividade. Nesse contexto, a calagem tem se destacado como uma das principais técnicas a serem utilizadas no preparo do solo para plantio, por reduzir a acidez do solo, aumentar a saturação de bases e reduzir o alumínio tóxico no solo.

Da mesma forma, a aplicação de gesso também se destaca devido a maior solubilidade do produto, assim ele é capaz de reduzir os teores de alumínio em profundidade além de aumentar os conteúdos de cálcio e enxofre, essenciais para o desenvolvimento das culturas. Existem basicamente duas formas de aplicação de calcário: a incorporada, com revolvimento do solo para maior reatividade do material; e a superficial, com sua aplicação sem aração. No artigo “Vale a pena incorporar o calcário?” nós explicamos com mais detalhes as implicações de cada forma de calagem e se realmente vale a pena realizar o revolvimento do solo na aplicação do insumo.

Observar a topografia

Declives acentuados são um grande empecilho para a agricultura. Mesmo em áreas sob sistema plantio direto, a declividade pode vir a causar problemas de erosão no solo. Além disso, as enxurradas nas lavouras podem resultar em transporte de pesticidas e adubos para rios e córregos próximo as áreas, gerando contaminação da água. Para o preparo do solo para o plantio na agricultura de conservação, a técnica no Mulching vertical tem se destacado como uma eficiente estratégia para controlar os problemas de erosão em áreas declivosas. A técnica basicamente consiste na instalação de sulcos de cerca de 40 cm de profundidade preenchidos com palha e dispostos de forma perpendicular ao desnível do terreno.

Preparo do solo para plantio em sistema plantio direto

Na agricultura de conservação é importante que evitemos realizar qualquer tipo de operação de revolvimento do solo uma vez que o sistema esteja implantado. Em algumas áreas, dependendo das condições locais é comum encontrar situações de compactação do solo severas, ou acidez do solo muito elevada. Nesses casos, normalmente recomenda-se a aração no preparo do solo para o plantio. Porém é importante que se tenha em mente que toda operação de revolvimento seja feita no início da implantação do sistema.

Após o controle dos problemas iniciais deve-se manter o solo permanentemente coberto através da rotação de culturas e evitar ao máximo revolvê-lo novamente.

E você, sabe mais sobre técnicas de preparo do solo para o plantio? Compartilhe suas experiências conosco.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Sobre o Autor

Comentários no Facebook