Resíduos de abatedouro, uma opção para melhorar a qualidade do seu solo

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Agropro Resíduos de abatedouro, uma opção para melhorar a qualidade do seu solo

A necessidade de aumento da produção de alimentos tem se tornado cada vez mais importante, tanto para incrementar os lucros do produtor rural quanto para atender a demanda cada vez maior devido ao crescimento populacional.

Na produção de carne de aves, grande parte dos resíduos gerados no processo são simplesmente descartados como lixo comum, muitas vezes de maneira inapropriada, gerando problemas de contaminação ambiental. A sua utilização para fins agrícolas, como por exemplo na produção de fertilizantes, consiste em uma maneira de prover um destino mais adequado aos resíduos de abatedouro.

Diversos trabalhos têm demonstrado o potencial dessa forma de adubação orgânica em incrementar os níveis de matéria orgânica do solo, promovendo um benefício tanto agronômico, quanto ambiental.

A seguir, veremos brevemente como a utilização de resíduos da produção de carne aviária podem auxiliar na qualidade do seu solo.

Como os resíduos de abatedouro podem melhorar a matéria orgânica do solo?

Estudos demonstrando o potencial de resíduos orgânicos em melhorar a fertilidade do solo tem sido bem reportados. No entanto, a maneira como eles podem modificar e melhorar a qualidade da matéria orgânica ainda não é um assunto bem esclarecido. Uma das principais hipóteses para a melhora da qualidade do solo é através do constante aporte de frações mais lábeis de C do solo.

Como pudemos ver no artigo “Matéria orgânica, o que realmente é isso?”, as frações mais lábeis do C são um dos principais indicadores de qualidade do solo uma vez que estão intimamente associados à atividade biológica do solo. Dessa forma, através da adição de matérial orgânico através dos resíduos de abatedouro, podemos incrementar signficativamente tais compartimentos do C do solo, aumentando a produtividade das culturas e a qualidade do solo (ROMANIW et al., 2015).

 

Untitled design (3)

Figura 1: Melhoria da qualidade biológica do solo é uma das principais vantagens da aplicação de resíduos orgânicos do solo. Foto: Thiago Inagaki.

O potencial do resíduo orgânico em melhorar a atividade biológica do solo

No estudo desenvolvido por ROMANIW et al. (2016), os autores avaliaram através de um estudo de incubação o potencial da aplicação de resíduos de abatedouro em elevar a atividade biológica e diferentes frações da matéria orgânica. A pesquisa revelou o potencial da prática em elevar a respiração basal do solo, indicando a melhoria da atividade biológica no ambiente.

Além disso, aumentos significativos dos estoques de carbono do solo e de compartimentos lábeis da matéria orgânica foram observados no estudo, indicando o potencial da prática em prover o sequestro de carbono do solo.

 

2

Figura 2: Relação entre a aplicação de doses de resíduos de abatedouro com a elevação dos estoques de carbono em um experimento de incubação de 125 dias. Fonte: ROMANIW et al. (2016).

A utilização de resíduos orgânicos gerados na produção de carne, dessa forma, pode consistir em uma excelente forma em dar um destino mais apropriado para os produtos que seriam descartados. Além de proporcionar uma melhoria da fertilidade do solo, a prática pode contribuir na elevação dos estoques de C do solo e da sua atividade biológica.

E você, sabe mais detalhes importantes sobre a utilização de resíduos de abatedouro? Compartilhe suas experiências conosco.

 

Referências

ROMANIW, J.  et al. C-CO2 EMISSIONS, CARBON POOLS AND CROP PRODUCTIVITY INCREASED UPON SLAUGHTERHOUSE ORGANIC RESIDUE FERTILIZATION IN NO-TILL SYSTEM. In: LARRAMENDY, M. (Ed.). Organic Fertilizers: Intech, v.1, 2016. cap. xx, p.xx.  ISBN 978-953-51-4701-5.

ROMANIW, J.  et al. Carbon dynamics in no-till soil due to the use of industrial organic waste and mineral fertilizer. Revista Ciência Agronômica, v. 46, n. 3, p. 477-487,  2015.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Sobre o Autor

Eng. Agrônomo e Mestre em Agricultura (Uso e Manejo do Solo) pela Universidade Estadual de Ponta Grossa. Trabalha na área de matéria orgânica do solo com enfoque em plantio direto e sequestro de Carbono.

Comentários no Facebook